Dono da Dolly é preso e diz que a culpa é da Coca-Cola

Laerte Codonho, o dono da empresa de refrigerantes Dolly, foi preso na manhã desta quinta-feira, 10 de maio, pela Polícia Militar em sua mansão na Granja Viana, em Cotia, na Grande São Paulo. Ao que parece, vai ter muito mais para explicar do que a origem de seu estranho sobrenome e o verdadeiro culpado pelo mascote Dollynho.

Segundo o G1, Codonho é acusado de fraude fiscal estruturada, organização criminosa e lavagem de dinheiro, um esquema que pode ter desviado R$ 4 bilhões. Além dele, também foram presos o ex-contador da Dolly, Rogério Raucci, e o ex-gerente financeiro da empresa, César Requena Mazzi, todos levados à 77º Distrito Policial.

Ao chegar à DP, Codonho carregava um cartaz denunciando o que, segundo ele, tinha motivado sua prisão: “Preso pela Coca-Cola”. Segundo ele, a empresa de refrigerantes rival estaria promovendo uma perseguição. Participam da operação o Gedec, grupo especial do Ministério Público de São Paulo, a Procuradoria-Geral do Estado e a Polícia Militar.

Alguns bens luxuosos de Codonho foram apreendidos, entre eles dois helicópteros e quatro carros de luxo. Também foi encontrado e apreendido dinheiro em espécie, incluindo notas de real, dólar, euro e libra esterlina.