Grife brasileira lança coleção inspirada na Alemanha e internet vê inspiração no nazismo

Algumas empresas não fazem por mal, eu ainda acredito nisso. Ficam tão fechadas em seus mundinhos que perdem completamente o senso de realidade. E claramente não têm o conhecido departamento de “Vai dar M…..” para interromper coisas como a nova coleção da grife brasileira Lança Perfume. Ou pelo menos alguns de seus elementos. Porque, gente… Não pode (risos de nervoso).

Assim que as primeiras imagens da coleção inspirada na “Noite de Berlim” foram para internet, a internet começou a julgar a peças – vestidos, casacos… – como inspiração nazista. Principalmente pelo uso da Cruz de Ferro nas peças, um forte símbolo do exército alemão no período. A Cruz de Ferro é anterior ao nazismo e continua sendo usada por lá, depois de uma ressignificação.

A empresa explicou: “Utilizamos vários elementos e um deles foi a Cruz de Ferro e isso não é algo de criação nazista. A Cruz de Ferro foi instituída pelo Rei da Prússia ainda no século XVIII para homenagear os soldados prussianos que se destacassem por bravura no campo de batalha. Já, em 1871, quando a Alemanha foi formada, ela passou a ser adotada pelo exército alemão, e assim o é até hoje. Não é um elemento nazista, portanto.” E ainda chama os críticos de ignorantes, afirmando que as acusações foram “baseadas em desconhecimento, desinformação e preconceito”.

Só que… A associação com o nazismo não saiu do imaginário do povo. E contra isso não há argumentos. Ou a empresa está desinformada ou quis chocar. No caso desta coleção, a Cruz de Ferro acaba sendo só um detalhe. O casaquinho abaixo, à esquerda, por exemplo. Colocamos ele ao lado de outros dois casaquinhos de generais nazistas, vendidos em sites de memorabilia da Segunda Guerra. Vai dizer que a inspiração foi a Noite de Berlim?

De qualquer forma, a Lança Perfume termina sua nota de esclarecimento com um esclarecimento muito importante: “A Lança Perfume repudia o nazismo e o fascismo em todas as suas dimensões. Conduzimos nossa marca expressando valores como pluralidade e respeito.” Ufa, ainda bem.