Menina de 7 anos volta da escola de caiaque após alagamento

A pequena Gabrielly dos Santos, de 7 anos, é uma verdadeira guerreira. Depois de mais um grande alagamento em Bertioga, no litoral de São Paulo, com as fortes chuvas, Gabrielly precisou usar um caiaque para voltar da escola. Uma criança. Em um caiaque. Voltando da escola.

Seu pai acompanhava suas remadas de perto. Estava de botas e tinha dificuldade para andar até a casa. Carregar Gabrielly seria uma missão quase impossível. Mas nem sempre a menina tem condições de ir estudar na Escola Municipal Jardim Vista Linda, onde cursa o 2º ano do Ensino Fundamental. O ônibus escolar da prefeitura só consegue deixá-la ou pegá-la a 1 km de casa.

“A imagem mostra tudo. É o registro de um descaso com a gente. Com a rua alagada, ela não tem como sair, só no nosso colo, ou de caiaque. Chove só um pouco e tudo fica intransitável”, conta a mãe da menina, Paula dos Santos, de 40 anos, ao G1.

Quando ela falta às aulas, pelo menos tem apoio dos professores, certo? Errado. “Falam que é ruim ela ficar faltando, não só por prejudicar o ensino, como por ela poder repetir de ano”, contou a mãe.

Ao G1, a prefeitura alega que precisa de verba federal – R$ 30 milhões – para as obras de drenagem necessárias. Diz também que a culpa é das fortes chuvas, e que está trabalhando para amenizar os problemas. E ainda aponta a culpa da população, que realmente tem parte da responsabilidade. “A prefeitura alerta, ainda, para a responsabilidade da população em não jogar lixo nas vias públicas, o que contribui para enchentes em períodos de chuva”, afirma, em nota, a assessoria.

A verba, a chuva (que sempre pega a gente de surpresa), o povo… Só faltou dizer que a culpa era de Gabrielly, que insiste em ir à escola.

Sugestão do leitor Ricardo Campos