Temer não prova que está vivo e fica sem aposentadoria

As más línguas diriam que quem não consegue provar que está vivo é o vampiro, que não tem sombra e nem reflexo no espelho. Mas seria muita maledicência. No caso do presidente Michel Temer, ele simplesmente estava sem tempo para isso. Como consequência, perdeu alguns meses de sua aposentadoria. Só os vivos podem receber aposentadoria.

Temer ficou novembro e dezembro passados sem receber sua aposentadoria de R$ 21,1 mil (eram R$ 45.050, mas achatou depois do abatimento do teto) como procurador do estado de São Paulo, que recebe desde 1999. Segundo o jornal O Globo apurou com a São Paulo Previdência (SPPrev), ele não foi pessoalmente realizar o recadastramento anual obrigatório, a chamada “prova de vida”, a ser realizada no mês de aniversário. O presidente completou 77 anos no dia 23 de setembro de 2017.

Ainda segundo o jornal, a SPPrev informou em nota que a situação de Temer “já está sendo regularizada”. Basta que ele compareça a qualquer agência do Banco do Brasil ou unidade da SPPrev como qualquer mortal. Também em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência informou que Temer não fez o recadastramento por “falta de tempo” – não por falta de vida – e “fará assim que possível”.