Árvore é apontada como autora de crime em boletim de ocorrência

Uma frondosa mangueira que “mora” em uma esquina do Itatinga, bairro de São Sebastião, em São Paulo, foi acusada de dano ao patrimônio por maliciosamente soltar uma de suas mangas no para-brisa de um carro. Ao que tudo indica, foi de propósito. Afinal, ela constou como autora do crime em um boletim de ocorrência feito pela Polícia Civil.

No B.O., segundo o G1, a “suspeita” foi descrita como uma mangueira (essa aí da foto, olha só que comportamento suspeito…) que não compareceu ao plantão (ficou lá, plantada) e tem sexo e cutis ignoradas. O erro foi percebido um dia após o registro e o caso foi arquivado.

O registro foi feito por Alexandre Barros Pereira, que dirigia o carro em questão, da empresa em que trabalha. “Fiz o boletim de ocorrência porque o carro é da empresa e precisava de um registro oficial para acionar o seguro. Tanto que o vidro já foi trocado. Registrei pela internet, mas me responderam por e-mail pedindo para ir até a delegacia para concluir o registro”, afirmou Alexandre ao G1.

Leia também  Homens são presos em lanchonete do Rio por rechear salgados com ração de cachorro

O delegado responsável não quis comentar o assunto, mas a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou em nota que foi feito um boletim de ocorrência complementar “para corrigir a natureza do registro anterior para ‘não criminal’, sendo excluída sua autoria”. A mangueira, ao que parece, vai se safar dessa. Os policiais civis responsáveis pelo B.O. serão “ouvidos em âmbito administrativo”.

Sugestão do leitor Denis Lima