Elite do Jockey Club lamenta crise: ‘Tomávamos champanhe, agora bebemos cerveja’

Uma bela reportagem publicada pela IstoÉ sobre o anual Grande Prêmio Brasil, evento mais chique do Jockey Club do Rio de Janeiro, mostra a maneira devastadora que a crise tem tratado as famílias mais ricas e tradicionais da cidade. “Costumávamos tomar champanhe. Agora bebemos cerveja”, disse uma senhora com chapéu de abas largas e enorme gargantilha de pérolas. Chega a dar lágrimas nos olhos, né?

A festa aconteceu no Salão das Rosas do Jockey, e a cerveja que circulava em grandes bandejas de prata era sempre gelada, e servida em taças de cristal.

Leia também  Bombeiro se esconde dos tiros em favela do Rio e relata pânico em vídeo

Aliás, outro detalhe levantado pela revista chama a atenção: os prestadores de serviço da festa são quase todos negros, vestidos como criados, servindo um público majoritariamente branco.

“As pessoas vêm porque é uma tradição que não se quer perder, como já aconteceu com tantas outras”, disse um homem que levou a mulher e a filha à festa.