Com crise hídrica histórica em Brasília, Alvorada aumenta consumo de água em 64%

O Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, é mesmo uma ilha das maravilhas dentro de Brasília. A cidade enfrenta a pior crise hídrica de sua história, uma seca que se arrasta desde pelo menos agosto de 2016, informa o G1. O racionamento para parte dos moradores completa um mês hoje, quinta-feira, dia 16. E no Palácio?

No Palácio da Alvorada, o consumo de água subiu 64,18% entre 2015 e 2016. A conta de água do ano passado foi de R$ 1,6 milhão, R$ 640 mil a mais do que em 2015. O imóvel está desocupado, já que a família de Michel Temer aguarda o fim das obras para se mudar para lá de forma definitiva. Até agosto do ano passado, o palácio era ocupado pela então presidente Dilma Rousseff. A atual gestão promete fazer mudanças no sistema de manutenção e modernizar hidrômetros e aparelhos sanitários.