Rússia pode descriminalizar violência doméstica em nome da ‘autoridade dos pais’

A parlamentar ultra-conservadora russa Yelena Mizulina, membro do comitê que trata de assuntos de família e mulheres, quer que a violência doméstica deixe de ser tipificada como crime. Seu projeto de lei passou pela primeira votação com folga, com 368 parlamentares a favor e apenas um contra. A emenda que transformou violência na família uma infração à lei é recente – de julho do ano passado – e tem sido atacada pelos conservadores desde então, informa o Independent.

“Na cultural da família tradicional russa, a relação entre pais e filhos é construída sobre o poder da autoridade dos pais”, disse Mizulina. “Você não quer pessoas presas por dois anos e rotuladas como criminosas para o resto da vida por causa de um tapa.” Ativistas dos direitos das mulheres, é claro, lutam para que a conquista do ano passado não se perca. “Esses legisladores pensam que multas para tiranos domésticos são melhores que responsabilidade penal”, afirmou a ativista Alena Popova, uma das principais vozes contra a violência doméstica no país.