Pote de cocô de artista é leiloado por quase R$ 1 milhão

O artista plástico italiano Piero Manzoni morreu em 1963 com apenas 29 anos, mas teve bastante tempo para sacudir o mundo da arte a seu bel prazer, e com muita ironia. Pelo jeito, até hoje ele faz isso. A prova é que uma de suas obras, intitulada “Merda de Artista” (“Merda d’Artista”), teve uma das 90 cópias numeradas – a 69, especificamente – por 275 mil euros, o equivalente, hoje, a R$ 981 mil. E o que seria a “Merda de Artista”? Como mostra a imagem, é o potinho parecido com os de atum e sardinha, mas com o cocô de Manzoni dentro. Segundo a casa Il Ponte, de Milão, na Itália, que realizou o leilão, o valor é um recorde entre suas obras, informa o Il Messaggero.

Manzoni ficou famoso por fazer de sua arte uma crítica irônica à arte em si. Imprimiu suas impressões digitais em ovos, fez uma exposição comestível, transformou mulheres nuas em “esculturas vivas”, definiu que o pensador Umberto Eco era uma obra de arte ambulante e criou um “pedestal mágico” que teria o poder de transformar qualquer um que subisse nele em obra de arte. Tem cocô dele na lata? Não dá para destruir uma obra de arte por pura curiosidade. A não ser que você tenha R$ 1 milhão para gastar e não ligue para o valor da arte. Talvez Manzoni ficasse orgulhoso.