O abraço dos clubes brasileiros à Chapecoense. E o nosso

A morte, em si, não é surreal. Pelo contrário. É uma das poucas coisas reais que a existência nos oferece durante esta caminhada tortuosa pela vida. Talvez seja surreal o fato de uma equipe de futebol, a grande paixão nacional, desaparecer praticamente inteira diante dos nossos olhos. Nossos olhos atentos e aflitos com o que houve na Colômbia com o voo da Chapecoense, de Chapecó, Santa Catarina, a caminho de sua maior glória esportiva, a final da Copa Sulamericana, primeira competição internacional que o clube ambicionava. Ou talvez seja surreal o fato de que jornalistas e tripulantes, também a trabalho, nos deixem de forma abrupta e violenta. Diante da tragédia, e independentemente de sua natureza, existe uma coisa nada surreal: a dor. Ela é sólida, pungente e insuportável. Abaixo, a solidariedade espontânea de alguns dos maiores times do Brasil, adversários no campo, mas demasiado humanos fora dele, regra básica de convivência pacífica. Nossos sentimentos estão com os sobreviventes deste desastre e com a família das vítimas. Este será o primeiro e único post do dia, porque, em si, ele nunca será o suficiente.

(Se o abraço do seu time não está aqui, mande para nós que incluiremos nesta homenagem)

PALMEIRAS

c1

FLAMENGO

c2

SANTOS

c3

CRUZEIRO

c4

SPORT

c5

INTERNACIONAL

c6

FIGUEIRENSE

c7

SANTA CRUZ

c8

PONTE PRETA

c9

ATLÉTICO MINEIRO

c10

SÃO PAULO

c11

CORITIBA

c12

GRÊMIO

c13

AVAÍ

c14

FLUMINENSE

c15

VASCO DA GAMA

c16

ATLÉTICO GOIANIENSE

c17

LONDRINA

c18

ATLÉTICO PARANAENSE

c19

CORINTHIANS

c20

CRICIÚMA

c21

NÁUTICO

c22

BRASIL

c23

VILA NOVA

c24

GOIÁS

c25

PARANÁ

c26

JOINVILLE

c27

SAMPAIO CORRÊA

c28

PAYSANDU

c29

BOTAFOGO

c30

BAHIA

c31

VITÓRIA

c32

CEARÁ

c33

CRB

c34

AMÉRICA MG

c35

JUVENTUDE

c36

TAUBATÉ

c37