E se 8 princesas da Disney abandonassem a maquiagem?

A Disney, desde sempre, é conhecida por suas princesas, protagonistas de suas tramas animadas. Mulheres fortes? Algumas sim, outras não. Mas sempre lindas e preparadíssimas para um dia cheio de aventuras. No começo, eram criadas e desenhadas por homens para se enquadrar no papel da mulher do início do século 20, prendada e dependente de um homem (ou figura masculina) para existir. Bela, adormecida e do lar. Em 1989, Ariel, a Pequena Sereia, abre a segunda geração de princesas, cheias de personalidade e independentes. Em 1992, Jasmine, de Aladdin, rompeu outra barreira como a primeira princesa que não é branca. O que todas têm em comum? A maquiagem. E se as princesas da Disney abandonassem a maquiagem? É só conferir abaixo. Mas… Por que elas fariam isso? Porque sim, ora. Basta quererem. E se não quiserem, tudo bem também. Cada princesa sabe de si.

1 – Branca de Neve, a pioneira, a dos Sete Anões (1937)

cap0

2 – Ariel, a Pequena Sereia, só conseguia manter um batonzinho debaixo d’água (1989)

cap1

3 – Mulan investiu apenas no lápis de olho (1998)

cap2

4 – Seguiu o exemplo da valente Pocahontas (1995)

cap3

5 – Tiana, de A Princesa e o Sapo, caprichou na make (2009)

cap4

6 – Bela, de A Bela e a Fera, bela de qualquer jeito (1991)

cap5

7 – Jasmine, de Aladdin, pioneiríssima, investiu no contorno dos olhos (1992)

cap6

8 – Nada comparado ao que Elza, de Frozen, fez com os dela (2013)

cap8