Procon encontra à venda pacotes de pipoca vencidos há 16 anos

O mundo no ano 2000 era completamente diferente do que é hoje. Foi ao ar na Globo o primeiro reality show, No Limite, apresentado por Zeca Camargo. Não havia sequer cheiro de Big Brother. Rubens Barrichello era nossa esperança na Fórmula 1, e vencia pela primeira vez na categoria. Um brasileiro, Gustavo Kuerten, era o melhor tenista do mundo. Olha que orgulho! Fernando Henrique Cardoso era presidente do Brasil e, nos Estados Unidos, George W. Bush conseguiu vencer sua primeira eleição. Nesse mesmo ano, em um mercadinho na zona rural, localizado entre os municípios de Patos e Santa Gertrudes, na Paraíba, estavam na prateleira seis pacotinhos de pipoca que ninguém quis. A validade deles venceria no dia 30 de abril de 2000.

E assim ficariam até anteontem, dia 29 de junho de 2016. Fiscais do Procon fizeram a apreensão durante uma força-tarefa. O quão ruim tem que ser uma pipoca que fica à venda 16 anos depois do vencimento (ou seja, ficaram na prateleira desde bem antes disso) e ninguém quer comprar? Segundo a Rede TV, a multa para o estabelecimento será de até R$ 7,2 mil.