Jornal decide não publicar que 62% querem novas eleições para presidente no Brasil

Na primeira reportagem do jornal Folha de S. Paulo sobre as pesquisas feitas pelo seu instituto de pesquisa Datafolha nos dias 14 e 15 de julho, 50% dos entrevistados disseram que preferiam que Michel Temer, o presidente interino, continuasse no cargo. Outros 32% gostariam que Dilma Rousseff, afastada, voltasse à presidência. Apenas 3% diziam preferir novas eleições. O problema é que descobriram que as novas eleições não eram uma opção desta pergunta específica, e os 3% disseram isso por livre e espontânea vontade. Pior que isso: Havia, sim, uma pergunta incluindo as novas eleições como opção, que o jornal simplesmente ignorou. Nela, a parcela dos entrevistados que querem votar de novo é de 62%.

A omissão desta pergunta nas reportagens que a Folha fez sobre a pesquisa do Datafolha viraram uma grande polêmica, e o jornal publicou uma nova versão. Sobre a omissão, o editor-executivo Sérgio Dávila afirma que foi uma simples decisão editorial: “O resultado da questão sobre a dupla renúncia de Dilma e Temer não nos pareceu especialmente noticioso, por praticamente repetir a tendência de pesquisa anterior e pela mudança no atual cenário político, em que essa possibilidade não é mais levada em conta”, afirmou. A polêmica foi levantada originalmente por reportagens dos sites Tijolaço e Intercept e tomou conta das discussões no Twitter.