Baterista do Legião Urbana destrói tocando com um celular. No mau sentido

Marcelo Bonfá fez parte da história do rock brasileiro, não adianta discutir. Sepultura é a banda de rock brasileira de maior sucesso pelo mundo, mas, no Brasil, nenhuma teve tantos fãs, emocionou tanta gente quanto a Legião Urbana. O principal motivo desse sucesso foi o líder, Renato Russo, um poeta e um grande cantor. Mas, segurando as pontas lá atrás, estava Marcelo Bonfá, comandando o ritmo do maior sucesso fonográfico nacional dos anos 80.

Dito isso… Bonfá teve seu momento de vergonha alheia. Parte da nova formação da banda – incluindo o guitarrista Dado Villa-Lobos, novo líder – foi divulgar a turnê Legião Urbana XXX anos (30 anos) no programa “Bahia Meio Dia”, da Rede Bahia. A música foi “Será”, um grande sucesso. Não cabia uma bateria no estúdio. No lugar, Bonfá resolveu usar um aplicativo de celular que simula uma bateria. É provável que nos ensaios tenha ido tudo bem. Mas, ao vivo…

É bom lembrar – é impossível garantir, mas… quem sabe? – que outras bandas de rock foram toscas de propósito por serem obrigadas a fazer divulgação na TV. Primeiro, um exemplo gringo. O Nirvana, zoando o playback no constrangedor Top of The Pops de 1991:

E, por último, o Ratos de Porão, tradicional banda punk brasileira, participando do igualmente constrangedor Milkshake, da TV Manchete. Se você, como a totalidade da platéia, não conhece a banda, é importante avisar que vocalista e guitarrista trocaram papéis, assim como baixista e baterista. E ninguém está tocando absolutamente nada ali. Nem tentam fingir. O ano também é 1991:

A performance de Bonfá é tão constrangedora que, mais uma vez… Quem sabe os idiotas não somos nós? Para evitar a vergonha alheia, é até melhor pensar que sim.