Mulher manda funcionário ‘voltar pra senzala’, é presa e diz que fez ‘exaltação à raça negra’

Maria Francisca Alves de Souza, de 58 anos, deu uma justificativa surreal depois de ser acusada de racismo em um supermercado da Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo testemunhas, ela teria gritado frases claramente racistas como “Volta pra sua senzala” e “quilombo” para um funcionário do estabelecimento. Ela ficou irritada porque o funcionário, gerente da loja, se recusou a interromper seu trabalho para pegar um produto que ela pediu. Ela já estava na fila do caixa e não queria sair e perder o lugar. O funcionário, Paulo Roberto Gonçalves Navarro, de 45 anos, chamou a polícia na hora.

Para a polícia, Maria Francisca tentou justificar suas ofensas dizendo que “senzala” e “quilombo” são, na visão dela, exaltações à raça negra. “Olhem as senzalas das telas de Debret”, disse, em referência ao pintor francês Jean-Baptiste Debret, conhecido por retratar o período escravocrata no Brasil. “Quilombo”, ela continua tentando justificar, seria uma referência a Zumbi dos Palmares, um “ícone da resistência negra”. A Polícia Civil, ainda bem, não caiu nesse papinho e Maria Francisca foi indiciada pelo crime de injúria racial, informa o G1. Como não pagou fiança, foi levada ao Complexo Penitenciário de Bangu.