Eleitores compartilham criança de colo para furar fila no TRE em Florianópolis

Hoje, no último dia da regularização do título eleitoral para votar ainda em 2016, a fila na sede da Justiça Eleitoral em Florianópolis, Santa Catarina, alcançou quase quatro quadras. E alguns malandros, talvez entre os que lutam contra a corrupção dos políticos, começaram a compartilhar uma criança de colo para poder pegar a fila preferencial, bem menor. Isso mesmo. A CBN informa que uma criança de colo foi “emprestada” para que pelo menos três pessoas diferentes tivessem atendimento mais rápido.

A atendente da fila preferencial só percebeu a malandragem quando viu a mesma criança entrando lá pela terceira vez. Essa bizarrice fez com que o TRE de Santa Catarina passasse a exigir documentos que provem que você é mesmo pai, mãe ou responsável da criança. Servem comprovante de vacinação, documento de identidade ou certidão de nascimento. E também vale parar de achar que corrupção só existe na política. Existe até na fila para tirar o título de eleitor.

(Sugestão dos leitores Patrick Santos e André Vieira)